VP Urbanizadora tem negócios 100% digitais com parceria com a Assine.Online

Case de Sucesso

Lorrayne

11 min. de leitura

A tecnologia chegou ao mercado imobiliário para oferecer facilidade ao consumidor e maior competitividade. O ano de 2020 foi um marco na história da incorporadora VP Urbanizadora, em função da revolução que houve no processo de formalização de vendas de lotes e terrenos. 

A empresa quebrou várias barreiras para transformar o processo tradicional de vendas e implementar o procedimento totalmente online. Hoje ela tem seus processos de vendas 100% digitais, com os contratos assinados eletronicamente com certificado digital validado pela ICP-Brasil (Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira).

Isso aconteceu graças à parceria com a Assine.Online, uma plataforma digital que oferece agilidade no manuseio de documentos e fechamento de negócios. 

A Assine.Online é uma startup do Grupo Soluti, que oferece uma plataforma para a gestão de documentos digitais e assinaturas eletrônicas dos tipos: simples, avançada e qualificada através do BirdID, o certificado digital em nuvem da Soluti.

A VP Urbanizadora é uma empresa que vem de um grupo que já tem mais de 50 anos no mercado imobiliário. Começou com a Fin-Hab, com sede em Porto Alegre (RS), no ramo de financiamento habitacional. Há quase de 30 anos passou a investir no mercado de loteamento e de urbanização e já produziu mais de 6 mil terrenos na região metropolitana de Porto Alegre, além de ter mais de 2 mil terrenos a serem produzidos nos próximos 3 anos.

Como transformar seus processos de vendas 100% digitais

Este ano, a empresa conseguiu transformar seus processos de vendas 100% digitais. Estes processos englobam tanto promessas quanto contratos de compra e venda, sem contar com a alienação fiduciária, que tem força de escritura, e com as próprias escrituras públicas, que também estão sendo feitas de forma digital com as assinaturas eletrônicas.

E até chegar a este estágio a empresa enfrentou muitas barreiras, explica Gustavo Veloso, sócio-diretor da VP. Embora a medida provisória nº 2020-2 regulamente as assinaturas eletrônicas desde 2001, e eles tenham muitos documentos que poderiam ser assinados eletronicamente, os cartórios de Registros de Imóveis não aceitavam os documentos assinados desta forma.

Já podíamos usar as assinaturas eletrônicas simples ou avançadas, sem a certificação digital, em promessas de compra e venda, em documentos que não vão a registro. Também não aceitavam contratos, mesmo com força de escritura, se não fossem impressos com reconhecimento de firma em tabelionatos. Mas acho que havia uma barreira cultural. E veio a pandemia para quebrar esta cultura e acelerar o processo”, explica.

Outra barreira que a empresa enfrentava eram os custos dos certificados digitais. Isso porque a maioria deles tem uso ilimitado durante 12, 24 ou 36 meses, e não é isso que o mercado imobiliário precisa. “Na hora da assinatura do contrato de compra do imóvel precisávamos de no máximo dois certificados digitais para a assinatura dos clientes, em geral um casal. Isso porque os representantes da empresa e as testemunhas já usam os certificados ilimitados. Por ser de uso ilimitado, o produto ficava muito caro”, comenta.

Uma outra dificuldade era a aquisição destes certificados digitais para uso de terceiros. Era muita burocracia e um processo moroso comprar os certificados para os clientes usarem. Tínhamos de fazer a ponte e acompanhar todo o processo. Além disso, nem sempre os clientes conseguiam usar os certificados pela dificuldade técnica de usar um celular ou computador. 

“Com a parceria com a Assine.Online, conseguimos resolver os problemas do custo de aquisição dos certificados e de uso do produto, porque a empresa oferece um processo totalmente integrado com a plataforma de assinatura”, comenta Veloso. Isso permitiu que a VP tornasse seus processos de vendas 100% digitais.

Biaxe o ebook sobre processos imobiliários

Segundo Charles Brasil, head da Assine.Online, esta era uma grande dor no mercado imobiliário, que enfrentava um processo burocrático e moroso desde os lançamentos dos imóveis até a coleta das assinaturas dos compradores no contrato, passando pelo reconhecimento de firma e o registro no cartório.

Ele concorda com Gustavo que a barreira cultural é um grande impedimento. “Temos conversado com várias incorporadoras e imobiliárias e ainda existe um receio, talvez por não entender que a assinatura qualificada tem validade jurídica para substituir um reconhecimento de firma, além de encurtar o caminho e agilizar o processo.”

“O certificado da Assine.Online é mais simples e fácil de usar que os certificados digitais antigos que dependiam de um plug-in, de um drive instalado. Hoje é possível emitir num celular, como num token de banco, e fazer a assinatura. É simples, diminui o custo e agiliza, não só para quem está vendendo, mas também para quem está comprando”, afirma Charles.

Segurança na assinatura eletrônica

Muitos clientes estão investindo em imóveis, em função da queda da taxa de remuneração da renda fixa. Considerando este cenário, muitos clientes optam pela transação remota, que gera mais valor à negociação, permitindo acelerar a venda do lote e o fechamento da negociação.

De acordo com Veloso, as vendas para investidores aumentaram muito e, nos últimos meses, até superaram as vendas para consumidor final. “Isso é um diferencial, porque têm muitos investidores que não moram na região do loteamento, mas se interessam em comprar um terreno por ter um algum vínculo. Pedem para um parente ou amigo dar uma olhada no local e compram remotamente.”  

A assinatura eletrônica qualificada é a única que possui presunção de não-repúdio e que sempre será aceita em qualquer tipo de transação imobiliária, inclusive nas transferências e registros de imóveis em cartórios. “O cliente não pode negar que assinou, se assinou com certificado digital aquilo é validado, porque é regulamentado e de uso próprio, ninguém pode usar sua chave”, explica Charles.

Ele destaca que, ao adquirir um certificado digital, a pessoa tem de ir a uma certificadora, apresentar documentos e criar uma senha. É um certificado que usa chaves, que une a chave da pessoa à senha, com reconhecimento governamental. É um processo muito mais seguro que o tradicional.

Mesmo com alienação fiduciária em garantia, o contrato tem força de escritura e os cartórios de Registro de Imóveis aceitam o documento. “Atualmente 90% das nossas vendas são feitas com financiamento direto nosso e com alienação fiduciária em garantia. E em função de terem o registro de alienação fiduciária, têm força de escritura e os registros de imóveis aceitam este documento de forma digital e assinado eletronicamente com certificado digital ICP-Brasil. Nós usamos o Assine.Online junto com o certificado BirdID ”, garante Veloso  

Contratos com certificado digital

A assinatura digital qualificada ajuda principalmente quando a quantidade de contratos para assinar é grande. Por exemplo, no dia de um lançamento de uma incorporadora, o processo não é mais burocrático, afirma Veloso. 

“Com o novo processo, a venda facilitou muito. Teremos em março um lançamento e estamos planejando duas formas de facilitar o processo: ou levar um certificador credenciado da Soluti ou a VP se credenciar para emitir certificados digitais. Ainda não decidimos, talvez usemos as duas opções. É uma forma de acelerar ainda mais este processo. Então a gente consegue no dia fazer tudo: a emissão do certificado para o cliente, emitir o contrato, assinar o contrato e já mandar direto para o Registro de Imóveis de forma muito mais fácil e rápida”, ressalta.

Além da agilidade, é preciso destacar o ganho de segurança e integridade dos documentos. Segundo Charles, todos os documentos armazenados na nuvem da Soluti são criptografados. Sua infraestrutura é muito segura e evita violações.

“Somos pioneiros nisso. Inclusive temos dentro da plataforma um QR Code que consegue verificar se o documento foi assinado com certificado digital. E mesmo que tenha sido impresso e havido alguma modificação, temos o acesso ao local primitivo dele. Com o QR Code conseguimos analisar em um documento impresso se houve alguma modificação.”

A VP patrocina os certificados digitais da Assine.Online para os clientes. Na prática, há um ganho de escala e redução do preço para a incorporadora, já que para assinar no cartório, o custo é bem maior.

“Com a assinatura com o BirdID, o processo é simples. Já começa na compra do certificado. Compramos 50 certificados que são vouchers, um código e, com este código, o cliente consegue agendar a emissão do certificado digital dele. Além disso, dentro da plataforma há um processo de gestão, onde podemos analisar quais são os contratos que foram enviados, quais não foram assinados, quais pendentes, quem não assinou e temos as pastas de arquivo, por 5 anos”, destaca Veloso.

Tendência da ferramenta

A Assine.Online faz a implementação da ferramenta no cliente e auxilia no processo. Segundo Veloso, nas promessas de compra e venda, a VP usa a plataforma da Assine.Online para ter uma assinatura avançada com um pouco mais de segurança, mas também utiliza assinaturas eletrônicas simples para outros documentos.

É um processo que veio para ficar e aos poucos as pessoas irão se acostumar. Para as incorporadoras, ter seus processos de vendas 100% digitais é uma vantagem de ganhos nos custos e no tempo das vendas”, finaliza Veloso. 

Fale com um de nossos consultores e saiba como revolucionar o seu processo de vendas! Basta preencher este formulário, entraremos em contato com você.

Posts relacionados

7 min. de leitura

Integratto Tecnologia ganha em otimização de processos com Assine.Online
Continue lendo

7 min. de leitura

Uniorka otimiza processo de assinatura de contratos de alunos com Assine.Online
Continue lendo
Skip to content